FETAEMA e Juventude Rural do Maranhão

02/05/2015
Mendes Júnior
A Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais do Maranhão - FETAEMA se fez presente na marcha da juventude com segunda maior delegação do festival, com cerca de 400 jovens, ficando atrás apenas do estado de Minas Gerais. A juventude maranhense participou ativamente da marcha do 3º Festival Nacional da Juventude Rural em Brasília, que contou com a participação de mais de 5 mil jovens das cinco regiões do país e de mais 10 países da América Latina que vieram compartilhar suas experiências e somar forças na luta do jovem do campo por direitos.
De início os jovens se concentraram em frente ao Museu Nacional de Brasília, ponto de partida da caminhada rumo a explanada dos ministérios, com uma extensa pauta de reivindicações.
Ministério do Desenvolvimento Agrário
No percurso fizeram a primeira parada em frente ao Ministério do Desenvolvimento Agrário, onde cercaram o prédio, na verdade, deram um abraço simbólico, gesto que demonstrou que os jovens do meio rural brasileiro estão unidos e organizados na luta por seus direitos e dias melhores no campo. A segunda para ocorreu no Ministério da Agricultura Pesca e Abastecimento - MAPA, onde a juventude reivindicou o apoio e investimento em Agroecologia, - aos gritos de “Não à agrotóxicos; e sim Agroecologia”; ao passarem pelo Ministério da Educação pediram um maior investimento em educação no campo. Logo após, os jovens se dirigiram à frente do Palácio do Planalto, ponto estratégico de reivindicações e palco da concentração final, da grande massa de mais de 5 mil jovens.
Dentre as principais reivindicações: o direito a terra, políticas públicas de sucessão e inclusão do jovem rural, combate ao trabalho escravo e extermínio de jovens negros, educação no campo, reforma agrária, fortalecimento do Pronatec campo, investimento em Agroecologia, entre outras. Os jovens também deram seu grito de protesto contra o financiamento empresarial de campanha; contra terceirização da mão de obra do trabalhador e outras medidas impopulares que estão no Congresso Nacional, como, a retirada de direitos trabalhistas.
Para, Maria da Consolação, coordenadora de jovens do Médio Sertão – MA, o movimento é uma forma do jovem estar inserido dentro da política e lutar pelos seus direitos.
“Esse é um dos caminhos para a juventude se manifestar, de mostrar suas ideias e de conhecer; ver a importância de estar inseridos dentro da política de valorização do campo, da educação e da cultura dos seus municípios dos seus estados; e uma forma de chamá-los para o movimento sindical, como forma de representação organizada”, evidenciou Maria da Consolação.
A jovem agricultora rural, Maria Wirajane Ferreira Noleto, do município de São João dos Patos - MA, falou da experiência de participar do festival pela primeira vez.
“Para mim, participar pela primeira vez do festival, foi além das expectativas, conheci novas culturas, pessoas diferentes, com conhecimentos além do meu; - foi como ter ido à escola pela primeira vez, percebi que a juventude tem a possibilidade de crescer, sem sair do campo, pelas experiências compartilhadas”, afirmou Wirajane.
Durante os três dias de evento, logo na abertura do Festival, a juventude rural obteve algumas respostas à suas reivindicações, o ministro do MDA, Patrus Ananias anunciou uma chamada pública de assistência técnica que atenderá aproximadamente 22 mil jovens de 23 estados do país. E também, o edital em parceria com Fundação Banco do Brasil e BNDS, no valor de 5 milhões, para cooperativas e associações da juventude rural com foco em agroecologia.
 
© 2008-2017 fetaema.org.br - Todos os direitos reservados.