FETAEMA sedia 12º Congresso Nacional da CUT

17/07/2015
Mônica Alves
Noite de muita saudação e prestígio na cerimônia de abertura do 12º CECUT – Congresso Estadual da Central Única dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Maranhão, realizado no Auditório da FETAEMA – Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura do Estado do Maranhão e que tem como objetivo uma ampla discussão sobre a Educação, Trabalho e Democracia, temas com a finalidade de serem aprovadas resoluções que contemplem um Plano de Ação para a intervenção da CUT e suas instâncias na conjuntura política, econômica e social do Estado e do País para os próximos 4 anos.

O congresso que se estenderá até o próximo sábado (18) vai deliberar, também, sobre:
• Conjuntura internacional, nacional e estadual;
• Balanço;
• Estratégia;
• Estatuto;
• Plano de lutas;
• Moções;
• Eleição de delegados (as) ao 12º CONCUT;
• ELEIÇÃO DA DIREÇÃO da CUT-MA e Conselho Fiscal para o quadriênio 2015-2019

Presentes à Mesa estiveram representantes da CUT Nacional, Estadual, FETAEMA, FETRAM, ACONERUQ, CTB, FECEMA, do Governo do Estado, PT e PCdoB.

Para Chico Miguel, presidente da FETAEMA, existe uma disputa política entre a classe trabalhadora e o capitalismo internacional e nacional e, por isso, tamanha crise a qual o país tem enfrentado.

“Hoje as grandes conquistas dos movimentos sindicais estão sendo bombardeadas pela grande imprensa nacional e burguesia, que não aceita que os trabalhadores melhorem sua qualidade de vida. Por isso digo, precisamos nos unir, lutar em prol de um projeto que mudou a vida de milhares de famílias e de trabalhadores desse país”, pontuou.

O presidente ainda fez questão de lembrar que a Federação e os movimentos sindicais dos rurais estão trabalhando com dureza, a cada dia, com união, para defender os direitos e conquistar cada vez mais outros e citou algumas das políticas públicas que melhoraram e vêm melhorando a vida do país. “Nós, os rurais, através das centrais, conseguimos o aumento do salário mínimo, o qual está acima da inflação, conseguimos assentar milhares de trabalhadores. Conseguimos o Pronaf, uma política pública importante para os trabalhadores desse país, o Luz para Todos – uma política importante para o campo”.

É notório que o CECUT-Maranhão acontece em um momento de grande crise econômica, financeira no Brasil e, mais ainda, grandes ataques dos setores privados e conservadores da burguesia a transformações que vêm acontecendo no país ao longo de 10 anos e, por isso, para Adriana Oliveira, presidente da CUT-MA, os trabalhadores, as federações, as bases sindicais, têm que chamar para si a responsabilidade de continuar na rua, na luta com o objetivo de fortalecer as causas dos trabalhadores, os quais movem a nação.

“Nesse momento de grande luta no país e no nosso estado, a exemplo também da violência desenfreada contra os negros e as mulheres, precisamos estar preparados e fortalecidos para continuarmos conquistando os nossos direitos e defendendo os nossos trabalhadores e reivindicando o que vem para nos oprimir. E é isso que nós vamos discutir nesses 2 dias de muito debate e análises da nossa atual conjuntura política e social”. destacou.
 
© 2008-2017 fetaema.org.br - Todos os direitos reservados.