Coletiva de Imprensa para denunciar Conflitos Agr rios em situa‡Æo cr¡tica no MaranhÆo!

18/05/2013
Barack Fernandes
A diretoria da Fetaema, representada pelo presidente Chico Miguel, a secret ria Geral, ¶ngela Sousa e o secret rio de Forma‡Æo e Organiza‡Æo Sindical, Iva¡ Santos, apresentou em Coletiva de Imprensa nesta quinta-feira (22) na sede da Federa‡Æo, um Relat¢rio dos atuais Conflitos Agr rios em situa‡Æo mais cr¡tica no MaranhÆo. No relat¢rio foram apresentadas as duras conseqˆncias da disputa pela terra, que afetam trabalhadores (as) rurais na comunidade do Vergel no munic¡pio de Cod¢; no povoado Cip¢ Cortado em Senador La Roque; Acampamento Dois IrmÆos e Projeto de Assentamento Capoema em Bom Jesus das Selvas; P.A Sit em Santa Luzia; P.A Guairacas em Buriticupu; P.A Santa Maria em Satubinha; Comunidade Vilela em Junco do MaranhÆo; Projeto Agroextrativista Bacuri em SÆo Raimundo das Mangabeiras; P.A Mesbla em Governador Nunes Freire; Quilombo Santa Maria dos Moreiras e Puraquˆ em Cod¢; Quilombo SÆo Pedro em SÆo Luiz Gonzaga; Quilombo Santana e SÆo Patr¡cio em Itapecuru; Quilombo Salgado e Pontes em Pirapemas. Ao todo 15 comunidades afetadas. Na Coletiva a diretoria da Fetaema, acompanhada dos advogados da Federa‡Æo, Diogo Cabral e Ant“nio Pedrosa, ainda denunciou o Conflito da comunidade SÆo Raimundo, localizado no munic¡pio de Urbano Santo. De acordo com os representantes da Fetaema, neste povoado al‚m da expulsÆo e amea‡a das fam¡lias de trabalhadores (as) rurais, ‚ comprovada por pesquisadores a importƒncia hist¢rica de SÆo Raimundo como palco da maior revolu‡Æo popular no MaranhÆo, a tÆo conhecida "Guerra da Balaiada". No relato feito pela Federa‡Æo foi constatado que atualmente moram em SÆo Raimundo cerca de 54 fam¡lias que trabalham em atividades rurais, como: plantio de mandioca, macaxeira, feijÆo, milho, arroz, maxixe, quiabo, ab¢bora, bata-doce, gergelim,fava, vinagreira, alface, tomate, pimentÆo, pimenta de cheiro, pepino e com a cria‡Æo de pequenos animais. Al‚m dos plantios e cria‡äes, ainda ‚ praticado o extrativismo do bacuri, pequi, buriti, Jussara, baba‡u, mangaba, caju, acerola, goiaba-ara‡ . A comunidade tem hoje trˆs Projetos Produtivos: cria‡Æo galinha caipira, manejo de bacurizeiros e ro‡a agroecol¢gica. Por‚m todo o territ¢rio tradicionalmente ocupado por estas fam¡lias, aproximadamente de 1.635 hectares, est  sob amea‡a do grileiro Luis Evandro Loueff, conhecido como "ga£cho". "O "ga£cho" j  esteve na comunidade afirmando que teria uma licen‡a ambiental de desmatamento para devastar 945 hectares de bacuri, pequi, aroeira, ipˆ e outras esp‚cies nativas do cerrado para a constru‡Æo de uma carvoaria. µrea esta utilizada tradicionalmente pelas 54 fam¡lias", denunciou o presidente da Fetaema, Chico Miguel, durante a Coletiva. Al‚m da forma truculenta com que jagun‡os a mando de "ga£cho" vˆem atuando na  rea, um ind¡cio de fraude na documenta‡Æo de licen‡a de desmatamento expedida pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente - SEMA foi outra den£ncia feita pela Fetaema aos jornalistas. "A licen‡a expedida pela SEMA em favor do "ga£cho" constam como munic¡pios de localiza‡Æo do im¢vel SÆo Raimundo, as cidades de Colinas e Santa Quit‚ria e nÆo no munic¡pio de Urbano Santos, onde de fato est  o terreno" denunciou o presidente da Fetaema, Chico Miguel. Atualmente o processo de desapropria‡Æo tramita vagarosamente no INCRA-MA.
 
© 2008-2017 fetaema.org.br - Todos os direitos reservados.